Versão para impressão

Mensagem da Senhora Maria Eugénia Neto

aasa3.jpg - 33.29 Kb

Presidente da Fundação Dr. António Agostinho Neto
ao SIMPÓSIO INTERNACIONAL ARISTIDES MARIA PEREIRA
Primeiro Presidente da República de Cabo Verde
Praia, 18 Novembro de 2017

Excelências
Comandante Pedro Pires, presidente da Fundação Amílcar Cabral
Camaradas Combatentes pela Liberdade da Pátria
Minhas Senhoras e meus Senhores

É para mim um prazer e um privilégio ter sido convidada a integrar a Comissão de Honra do Simpósio Internacional dedicado ao primeiro Presidente da República de Cabo Verde, o Camarada Aristides Maria Pereira, por ocasião do seu aniversário natalício a 17 de Novembro.

Com grata satisfação, saúdo o Simpósio que ora termina e felicito a Fundação Amílcar Cabral por este nobre gesto, de imensa valia para a preservação da memória da luta heróica de Libertação Nacional, exaltando aqueles que deram a vida para que a África renascesse das cinzas do colonialismo e, com os outros povos da terra, marchasse para a paz no planeta.

Minhas Senhoras e meus Senhores,
Sem saber se poderia cá estar nesta ocasião, gravei o meu pensamento a exaltar o nosso amigo e camarada, Aristides Pereira, para ser transmitido aqui, com algumas imagens de arquivo. Recordamos o seu percurso militante na criação do Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC) e na luta de libertação nacional, a sua coragem a quando da morte de Amílcar Cabral, a quem mãos assassinas tiraram a vida, pondo em risco o sucesso da Luta. Aristides Pereira foi o companheiro fiel que fez da tragédia da morte do Chefe, um incentivo para levar os seus camaradas a caminhar em frente, até à vitória final.

Não poderia deixar de recordar neste momento a amizade profunda, o respeito e admiração mútua entre Agostinho Neto e Aristides Pereira. Dois homens rigorosamente honestos e patriotas, cujas qualidades humanas os uniam numa amizade profunda e camarada.

Relembro também, já depois de Agostinho Neto ter falecido, como me convidou em visita oficial e, tanto ele como sua esposa, a Camarada Carlina Fontes Pereira, me receberam como se meu marido ainda fosse vivo. Sua esposa, também militante pela libertação nacional, esteve sempre a acompanhar-me nos programas que escolheram para mostrar-me o avanço do seu país.

O Camarada Aristides e sua esposa eram pessoas muito modestas, viviam sem luxos e as suas vidas foram dedicadas à luta pela melhoria do Povo de Cabo Verde e a Guiné Bissau esteve sempre no seu coração também.
A deportação de Agostinho Neto para Cabo Verde - na Ilha de Santo Antão, estreitou os nossos laços de amizade. Agostinho Neto, como médico, fez tudo quanto pôde para ajudar este povo.

Havia um médico para 30.000 pessoas. O trabalho era muito. Os medicamentos, poucos, tendo de recorrer muitas vezes a farmacopeia tradicional. Protestos constantes para o Ministério da Saúde em Portugal. Zangas do Governador e do Ministro. Aborrecimentos para Agostinho Neto... Era assim a vida e a luta!

Estabeleceu-se uma amizade entre o médico Agostinho Neto e o Povo. O Povo fez um abaixo-assinado para que ele não fosse deportado para a Ilha de Boavista, mas foi de novo preso e reenviado para Lisboa.

Por esta ligação tão profunda, a Fundação Dr. António Agostinho Neto pensou em pôr em Santo Antão o seu busto para que ele simbolicamente continuasse presente nesta ilha.

Hoje, Cabo Verde caminha para o progresso. Aristides Pereira será lembrado como Chefe e Camarada e será um dos faróis que iluminará o caminho para a paz e a concórdia entre os povos.

Nesta linda homenagem de reconhecimento, no mês em que Angola celebrou o seu 42º (quadragésimo segundo) aniversário da independência, a Fundação Dr. António Agostinho Neto considera excelsa a celebração e decide a ela juntar-se para atribuir o seu mais elevado título honorífico, a Ordem Sagrada Esperança, pela sua dedicação relevante à luta de libertação nacional liderada pelo PAIGC, à melhoria das condições de vida do povo de Cabo Verde e da Guiné e também ao contributo excepcional à literatura caboverdiana e de língua portuguesa, às distintas personalidades:

1. Amílcar Lopes da Costa Cabral
2. Aristides Maria Pereira
3. Pedro Verona Rodrigues Pires
4. Corsino António Fortes
QUE VIVAM PARA SEMPRE AS SUAS MEMÓRIAS!


Praia, 18 de Novembro de 2017